Make your own free website on Tripod.com

ÍNDICE SALINO DE FERTILIZANTES

 

A. A. Rodella

        

Uma recente alteração na legislação sobre fertilizantes incluiu a determinação de índice salino, bem como a determinação da condutividade elétrica. A medida causou certa apreensão no meio agronômico, pois não se sabia exatamente qual seria o método analítico empregado para efetuar essa determinação.

Rader at al (1943) estabeleceram valores de índice salino para 45 fertilizantes usados na época. O método utilizado baseava-se na mistura de fertilizantes com um determinado solo seco, umedecendo-o a seguir a 75% da sua umidade equivalente. Após 5 dias, a solução do solo era extraída e se efetuavam medidas de condutividade elétrica e ponto de congelamento. O abaixamento do ponto de congelamento era determinado e convertido à pressão osmótica. Um valor de índice salino era então obtido a partir do aumento de pressão osmótica devido ao fertilizante em relação ao aumento provocado por uma mesma massa de NaNO3. Os valores obtidos por Rader são extensivamente mencionados em trabalhos e artigos de divulgação sobre problemas de salinização do solo devido ao uso de fertilizantes, quase sempre sem citar o trabalho original.

O método de Rader sem dúvida é muito complicado para análises de rotina. Um método de laboratório, bem mais simples, foi preposto por Jackson (1958), no qual eram preparadas soluções pela dissolução de 1 g de fertilizante água destilada completando-se o volume a 1 L em balão volumétrico. A condutividade da solução 1 g L-1  de fertilizante (Cf) é medida e relacionada à condutividade (Cp) da solução 1 g L-1do sal NaNO3, reagente analítico, preparada do mesmo modo, descrito para o fertilizante. As duas soluções eram medidas no mesmo momento e equipamento, efetuando-se as devidas correções de temperatura.

 

ÍNDICE SALINO =  Cf.100/Cp

 

Os valores fornecidos pelo método original de Rader são diferentes dos valores obtidos pelo método preconizado por Jackson. Contudo, pela simplicidade este último tem sido adotado em vários laboratórios no exterior.

De acordo com Murray & Clapp (2004), o método de Jackson poderia ser usado para uniformizar os índices em vigor, pois para elaboração de certas tabelas de cálculo de índice salino em misturas de fertilizantes os valores do trabalho original de Rader têm sido utilizados ainda hoje. Em face da necessidade urgente de um método de índice salino para ser usado no Brasil, o método de Jackson também poderia ser uma boa alternativa.

Na tabela 1 são mostrados os índices salinos determinados pelo método de Jackson para diversos fertilizantes simples. Realmente existe uma discrepância com os valores originalmente propostos por Rader. O caso mais facilmente explicado é o da uréia, composto orgânico em solução não apresenta caráter iônico, mas uma vez incubado no solo produz íons.

 

Tabela 1. Valores de índice salino para fertilizantes simples

Fertilizante

 

Rader et al. (1943)

Solução 1 g L-1 (Jackson, 1958)

Índice salino

µS cm-1

Índice salino

Nitrato de sódio (p.a.)

100

1333

100,0

Nitrato de amônio

105

1655

124,2

Sulfato de amônio

69

1924

144,3

Uréia

75

6,81

0,5

Fosfato diamônico (DAP)

30

1436

107,7

Fosfato monoamônico (MAP)

34

814

61,1

Termofosfato

-

53,8

4,0

Superfosfato simples

-

899

67,4

Superfosfato triplo

-

517

38,8

K-Mag

-

1174

88,1

Cloreto de potássio

116

1875

140,7

 

        

         Não existe uma marcha analítica descrita em detalhes para determinação de índice salino pelo método de Jackson. Os passos descritos a seguir foram elaborados no sentido de promover a dissolução eficiente no preparo da suspensão 1 g L-1 de fertilizante recomendada pelo autor.

 

         Determinação de índice salino em fertilizantes

 

- Moer uma quantidade representativa de amostra para passar em peneira 20

         - Pesar 0,5000 g de amostra, transferir para um béquer de 500 mL. Em se tratando de fertilizantes fluidos, homogeneizar bem a suspensão para tomar uma alíquota representativa, minimizando problemas de segregação de material suspenso.

         - Adicionar cerca de 300 mL de água destilada e dispersar o material, desagregando cristais e grumos com auxílio do bastão de vidro

         - Agitar a suspensão periodicamente durante 30 minutos

         - Transferir a suspensão para balão volumétrico de 500 mL, completar o volume e agitar vigorosamente

        - Pesar 0,5000 g de NaNO3, seco a 100-110oC por duas horas, dissolver em água destilada e transferir para balão volumétrico  de 500 mL, completando o volume.

         - Transferir volumes de cerca de 60 mL do extrato de fertilizante e da solução de NaNO3, para copos de 100 mL e colocar num banho de água para ajustar a temperatura à 25oC

         - Efetuar leituras de condutividade elétrica em condutivímetro calibrado com solução padrão de KCl a 25oC.

 

         Condutividade elétrica

         Pela legislação, a medida de condutividade elétrica de fertilizantes destinados ao cultivo hidropônico e a fertirrigação deve ser efetuada em solução cuja concentração corresponde à maior dose recomendada pelo fabricante. Essa determinação também é requerida em fertilizantes que são adicionados a sementes, mas neste caso não existe na instrução normativa nenhuma indicação de como proceder ao preparo de uma solução para leitura da condutividade.

 

Literatura citada

 

Jackson, W.L. Soil Chemical Analysis; Prentice Hall: Englewood Cliffs, NJ, 1958.

 

Murray, T. P.; Clapp, J.G.  Current Fertilizer Salt Index Tables are Misleading. Communications in soil science and plant analysis  v. 35, n. 19 & 20, p. 2867–2873, 2004

 

Rader, L.F., Jr.; White, L.M.; Whittaker, C.W. The salt index: a measure of the effect of fertilizers on the concentration of the soil solution. Soil Science, v.55, p. 201–218. 1943.